terça-feira, 31 de janeiro de 2012

CARREIRA X MATERNIDADE.


Acredito que seja o dilema da grande maioria das mulheres que trabalam fora.Adorei o texto e estou compartilhando.
Texto a seguir do msn.com


Você quer ser uma profissional de sucesso, ser chefe, alta executiva. Mas também quer engravidar e ser mãe. Diante disso, será que existe um momento certo para gerar o primeiro filho, sem que isso atrapalhe demais o curso da carreira?
Todos os especialistas concordam em um ponto: não há regras. “É um olhar muito pequeno ficar subordinando a vida pessoal à vida profissional”, afirma a sócia-diretora da FM Consultores, Fátima Motta.
Para Fátima, as mulheres precisam entender que maternidade e carreira não necessariamente devem ser vistos de forma separada; é possível administrar estas duas esferas da vida, sem que uma prejudique a outra. “A mulher não deve pensar que a gravidez vai atrapalhar sua carreira. Tudo se ajusta, é apenas uma questão de flexibilidade”, diz.
Para aquelas profissionais que pensam em esperar uma promoção ou assumir determinado cargo ou ainda ter terminado a pós-graduação, Fátima faz a seguinte consideração: depois de um objetivo, sempre virá outro e, se você sempre postergar a maternidade para atingir suas metas profissionais, é possível que se arrependa de ter conquistado determinados objetivos e de nunca ter tido um filho.

O que você quer?

O mais adequado, portanto, é observar o seu momento, o que você quer. É consenso entre os especialistas que cada caso é um caso. A coach de carreira, Daniela do Lago, também fala do difícil dilema: “enquanto o relógio biológico vai chegando ao fim, a carreira está apenas começando”.
Assim como Fátima, Daniela acredita que a mulher deve sentir o que para ela é o mais adequado naquele momento. Mesmo porque é, sim, possível ter uma carreira bem-sucedida e engravidar. De acordo com o professor do curso de Gestão em Recursos Humanos da Veris Faculdades, Cristiano Luiz Rosa, as próprias empresas já mudaram bastante esse pensamento de que o filho atrapalha a trajetória profissional da mulher.
Rosa, porém, dá algumas sugestões às mulheres que estão pensando em ter seu primeiro filho. Já ter definido qual a área que você pretende atuar, ter terminado pelo menos a graduação e ter certo tempo na mesma empresa, podem tornar esse momento mais tranquilo.
Caso tenha acabado de receber uma promoção, pode ser interessante esperar estar mais adaptada às novas funções e às novas demandas. É importante ponderar se você terá tempo de se dedicar à maternidade, principalmente quando acaba de iniciar uma nova posição. Mas não deixe que essa ou aquela questão profissional faça você postergar o desejo de ser mãe por muito tempo.
Lembre-se ainda de que “o elástico da carreira é um pouco maior do que o de mãe”, como diz a coach Daniela. Na prática, a carreira tem um tempo muito mais longo do que o relógio biológico.
A algum tempo li uma matéria na resvista Crescer que fala de mulheres com grandes carreiras como Juizas, publicitárias e etc, que deixaram suas profisões de lado para serem mães em tempo integral. Eu estudei muito e dediquei o maximo de mim a minha profissão, sem planos pra filhos, mas quando veio a Isadora percebi que o mundo girava em torno dela, e agora gira tbem ao redor do Bruno.
Na minha opinião a mulher deve escolher aquilo que realmente lhe fará feliz, isso é claro, sem levar em conseideração a necessidade.

Um abraço a todos..
prometendo mais postagens.

Nenhum comentário:

Postar um comentário